A nona edição do Boletim COVID-19 foi publicada

07/07/2020 09:35

A nona edição do Boletim COVID-19 está disponível para leitura. Nesta edição, o pesquisador Lauro Mattei discorre sobre a evolução da doença na microrregião de Florianópolis, com casos crescendo em todas as cidades ao entorno da capital.

O título do boletim é: “A COVID-19 em SC: Doença avança fortemente na microrregião de Florianópolis“.

A edição foi escrita pelo Professor Lauro Mattei, Coordenador geral do NECAT, e pode ser acessada clicando aqui ou acessando a Aba Boletins.

Rede Necat/UFSC

13/04/2020 12:10

Neste momento de crise, o compartilhamento de informações sobre a conjuntura ganha ainda mais importância. Visando ampliar a integração de professores, estudantes e demais pesquisadores, o Necat criou uma lista de e-mail, que servirá para a divulgação de notícias, materiais e atividades do Núcleo, além de funcionar como uma plataforma de comunicação e debate sobre tópicos relacionados à socioeconomia catarinense.

Interessados em integrar essa rede podem solicitar participação neste link.

Evolução dos Postos Formais de Trabalho atualizada com os dados mais recentes da RAIS

15/12/2017 10:11

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (NECAT) concluiu a atualização de sua série de dados referentes à Evolução dos Postos Formais de Trabalho, conforme os dados mais recentes da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), disponibilizada pelo Ministério do Trabalho (MTE).

As novas tabelas elaboradas contam tanto com os agregados de Santa Catarina, quanto com os dados relativos às alterações dos postos formais de trabalho de cada uma das mesorregiões do Estado, organizadas segundo setores de atividade econômica, sexo, escolaridade, faixa etária, jornada de trabalho e remuneração mensal. Os arquivos completos contam com informações que vão desde 1991 até 2016 e podem ser conferidos aqui.

Além disso, também foram incluídas séries de cruzamentos de dados do mercado de trabalho formal, relacionando de dois a três diferentes atributos em um mesmo arquivo. Dessa forma, é possível analisar a dispersão dos postos formais de trabalho, observando por exemplo, como se dá a distribuição dos postos formais de trabalho em um determinado ramo de atividade econômica para o sexo masculino e para o feminino, quais são os setores de atividade econômica mais bem remunerados e assim por diante. Esses cruzamentos, que são delimitados pelos agregados de todo estado no caso dos cruzamentos triplos e também por mesorregiões no caso dos cruzamentos duplos, levam em conta o período de 2001 a 2016 e estão disponíveis aqui.