Encontro com Milton Santos: O mundo global visto do lado de cá

10/06/2019 14:15

Milton Santos foi um geógrafo brasileiro nascido em 24 de junho de 1926 na cidade de Brotas de Macaúbas, Bahia. Ele é considerado por muitos como o maior pensador da história da Geografia no Brasil, nas inúmeras produções dele foram recorrentes estudos com as temáticas da epistemologia da Geografia, a globalização e espaço urbano. Milton conquistou muitos prêmios em decorrências das suas relevantes produções, sendo a principal premiação dele em 1994, na ocasião ganhou o Prêmio Vautrin Lud, o Nobel de Geografia, ele foi o único brasileiro a conquistar esse prêmio e o primeiro geógrafo fora do mundo Anglo-Saxão a realizar tal feito. O geografo veio a falecer em 2001, aos 75 anos de idade.

A família do geógrafo Milton Santos reuniu toda a herança intelectual no seu site, onde tudo está classificado em biografias, livros, artigos, pesquisas e materiais audiovisual.

Também foi disponibilizado o documentário do cineasta brasileiro Sílvio Tendler protagonizado por Milton Nascimento através de uma entrevista gravada quatro meses antes de sua morte, o documentário discute os problemas da globalização sob a perspectiva das periferias (seja o terceiro mundo, seja comunidades carentes), Milton Santos não era contra a globalização e sim contra o modelo de globalização vigente no mundo, o que ele chamava “globalitarismo”. Analisando as contradições e os paradoxos deste modelo econômico e cultural, Milton enxergou a possibilidade de construção de uma outra realidade, que ele considerava “mais justa e mais humana”.

Confira abaixo o vídeo.

NECAT participa do XIII Encontro de Economia Catarinense

13/05/2019 14:45

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense marcou presença no XIII Encontro de Economia Catarinense, realizado nos dias 9 e 10 de maio na Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), em Criciúma.

O membro do Núcleo Vicente Loeblein Heinen e o Professor Lauro Mattei, Coordenador Geral no núcleo, apresentaram o trabalho intitulado “COMPORTAMENTO DO MERCADO FORMAL DE TRABALHO NO ESTADO DE SANTA CATARINA ENTRE 2001 E 2017“, Os dois pesquisadores, com a ajuda de Mateus Victor Fronza, também membro do NECAT, escreveram em conjunto o artigo “EVOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS VÍNCULOS FORMAIS DE TRABALHO NAS MESORREGIÕES DE SANTA CATARINA ENTRE 2001 E 2017“.

O professor foi responsável pelos comentários na mesa referente ao Mercado de Trabalho e o pesquisador Vicente Heinen apresentou um terceiro artigo, denominado de “MICRORREGIÃO DE TUBARÃO: CENÁRIO E TENDÊNCIAS ECONÔMICAS RECENTES“, este de produção própria e elaborada a partir de um trabalho proposto na disciplina de Economia Catarinense, ministrada por Lauro Mattei.

Ao longo de todo o evento, os membros do Núcleo distribuiram folders e puderam conversar com a comunidade acadêmica sobre as atividades realizadas pelo Núcleo. Ao fim, o NECAT foi convidado a explanar sobre a próxima Revista NECAT, a edição número 15, que abordará sobre a Reforma da Previdência.

Segue abaixo algumas fotos do evento, para acessar mais fotos clique aqui.

UFSC Explica – Previdência Social

16/04/2019 16:33

O Professor Lauro Mattei, coordenador do NECAT, foi convidado pela UFSC para explanar sobre a Reforma da Previdência, assunto que foi o tema do 16º Seminário NECAT.

No vídeo, o professor dá um panorama histórico da seguridade social, explica como ela é composta, as formas de financiamento e as suas imperfeições ao longo dos anos.

Confira o vídeo abaixo:

Joinville, Itajaí e Florianópolis lideram ranking do PIB em SC

15/12/2018 00:16

O ranking das cidades com maior Produto Interno Bruto (PIB) em Santa Catarina, divulgado nesta sexta-feira pelo IBGE, manteve-se inalterado nas primeiras posições, em relação aos anos anteriores. Joinville, Itajaí e Florianópolis lideram a lista, nesta ordem. Juntos, somam R$ 63 bilhões.

A análise leva em conta os números de 2016 – a avaliação é sempre retroativa a dois anos. Em comparação com os números divulgados no ano passado, referentes a 2015, pouco mudou no PIB das cidades que lideram o ranking. Joinville, com R$ 25,2 bilhões, e Florianópolis, com R$ 18,6 bilhões, mantiveram praticamente os mesmos valores de 2015. Itajaí teve um ligeiro aumento de 4%. Subiu de R$ 18,8 bilhões para R$ 19,2 bilhões.

Se considerados os primeiros 10 colocados no ranking do PIB, o setor de serviços aparece como o maior motor da economia catarinense. Lidera em Joinville, Florianópolis, Blumenau, São José, Chapecó, Criciúma, Brusque e Balneário Camboriú. Apenas Itajaí e Jaraguá do Sul têm outros setores com maior peso na economia – para Itajaí, comércio e reparação de veículos automotores. Em Jaraguá do Sul, a indústria de transformação.

Em tabelas destacadas pelo IBGE, priorizando algumas atividades específicas, as posições do PIB se alternam. Se considerado o valor adicionado bruto da agropecuária, por exemplo, São Joaquim, Campos Novos e Canoinhas lideram o ranking.

Joinville, Blumenau e Jaraguá do Sul lideram o valor adicionado bruto da indústria. Em serviços, as colocações alternam para Florianópolis, Joinville e Itajaí, nesta ordem.

Se considerada a arrecadação de impostos, Itajaí salta para o primeiro lugar com uma receita de R$ 6,5 bilhões. Joinville e Blumenau completam a lista.

Para ler a reportagem completa, clique aqui.

Fonte: NSC Total

Pobreza aumenta e atinge 54,8 milhões de pessoas em 2017

12/12/2018 20:23

Replicado de: Agência de Notícias IBGE.

O país tinha 54,8 milhões de pessoas que viviam com menos de R$ 406 por mês em 2017, dois milhões a mais que em 2016. Isso significa que a proporção da população em situação de pobreza subiu de 25,7% para 26,5%, de acordo com a Síntese de Indicadores Sociais, divulgada hoje pelo IBGE. O estudo utilizou critérios do Banco Mundial, que considera pobres aqueles com rendimentos diários abaixo de US$ 5,5 ou R$ 406 mensais pela paridade de poder de compra.

O Nordeste concentrou o maior percentual daqueles em situação de pobreza, 44,8%, o equivalente a 25,5 milhões de pessoas. Entre as unidades da federação, a maior proporção de pobres estava no Maranhão, com mais da metade da população, 54,1%, e em Alagoas, 48,9%. Já Porto Velho (RO) e Cuiabá (MT) foram as duas únicas capitais onde o contingente de pessoas que ganham menos de R$ 406 por mês superava a dos respectivos estados: em Porto Velho era 27%, contra 26,1% em Rondônia; em Cuiabá, 19,2%, contra 17,1% em Mato Grosso.

Clique aqui para ler a reportagem completa.

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Pesquisa vinculada ao NECAT analisa dinâmica recente do mercado de trabalho em Santa Catarina

31/08/2018 14:31

O projeto de pesquisa “Análise da Dinâmica e da Evolução do Mercado de Trabalho no Estado de Santa Catarina entre 2001 e 2016”, oriundo de bolsa PIBIC da UFSC, foi desenvolvido de julho de 2017 a agosto de 2018 pelo graduando de Economia Vicente Loeblein Heinen, sob orientação do professor Lauro Mattei.

O vídeo que se segue apresenta os objetivos da pesquisa, bem como os principais resultados obtidos:

O relatório final do projeto pode ser conferido  neste endereço.

IBGE | Censo Agropecuário, Florestal e Aquícola 2017

23/08/2018 16:40

Desde outubro de 2017, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi a campo para conhecer as características e a produção de todos os estabelecimentos agropecuários do território brasileiro.

Censo Agropecuário, Florestal e Aquícola 2017, é principal e mais completa investigação estatística e territorial sobre a produção agropecuária do país e mobiliza milhares de pessoas desde a fase de seu planejamento até a divulgação dos resultados.

O Censo Agropecuário fez a coleta de dados  entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018, adotando-se como referência o período de 1º de outubro de 2016 a 30 de setembro de 2017, ao qual deverão estar relacionados os dados sobre a propriedade, produção, área, pessoal ocupado, etc.

A data de referência adotada para a pesquisa é 30 de setembro de 2017, à qual estão referidas as informações sobre estoques, efetivos da pecuária, da lavoura permanente e da silvicultura, entre outras totalizações.

Você pode acompanhar mais informações aqui.

14º Seminário NECAT – 2 Anos do Golpe de Estado no Brasil: Consequências Políticas e Econômicas

15/06/2018 16:06

Após tentativa do governo atual de impedir a realização, na UNB, do curso “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”, mais de 30 instituições de ensino superior do país ofertaram curso semelhante em 2018. Tais iniciativas se inserem no âmbito da defesa da autonomia das universidades, conforme exarado na Constituição Federal. Na UFSC esse curso foi realizado entre 15.03 e 02.05.2018, contando com a participação de professores de diversas áreas de conhecimento. Recentemente universidades da França, Bélgica e Inglaterra também passaram a discutir o cenário político atual e as consequências para a democracia brasileira após o golpe de 2016. Visando colaborar neste debate, o NECAT organiza seu tradicional seminário com o objetivos de aprofundar os conhecimentos sobre as consequências políticas e econômicas desse processo.

DIA: 20.06.2018 (Quarta-feira)

LOCAL: Auditório do CSE

PALESTRANTES:

  • Paulo Nogueira Batista Júnior – Economista, Ex Diretor do FMI e Ex Vice-Presidente do Banco dos BRICS
  • Lauro Mattei – Professor Associado do Departamento CNM-UFSC

 

Publicada a 12ª edição da Revista NECAT

04/12/2017 17:46

A edição da Revista NECAT referente ao segundo semestre de 2017 tangencia o tema da Dívida Pública, com enfoque especial ao cenário econômico de Santa Catarina.

A revista de número 12 conta com seis artigos e pode ser conferida aqui.

Convite ao 13º Seminário NECAT: Dívida Pública Catarinense – Cenário e Tendências

24/10/2017 16:50

A dívida pública é um tema de enorme relevância no atual cenário econômico do país, uma vez que coloca um conjunto de impedimentos às políticas econômicas, especialmente em termos de investimentos produtivos, limitando as possibilidades de ação do Estado. Nesse contexto, NECAT convida toda a comunidade acadêmica para o seu 13º Seminário, que procura discutir tal assunto à luz da realidade catarinense, debatendo a situação atual da dívida pública catarinense e suas principais tendências.

Promoção:

II Seminário DESIS: Vocações Regionais e o Desenvolvimento Socioeconômico

06/10/2017 17:02

O Núcleo de Estudos e Desenvolvimento Econômico Sustentável e Inovação Social (DESIS) em parceria com o Órion Parque Tecnológico Luiz Herinque da Silveira, tem a honra de convidar para o II Seminário DESIS Vocações Regionais e o Desenvolvimento Socioeconômico que terá como foco principal os Indicadores para o Desenvolvimento Regional, Centro Vocacionais Tecnológicos e Empreendedorismo Social.  Serão tratados temas sobre a economia regional, questões sociais e engajamento de políticas públicas, desenvolvimento sustentável e inovação social.

.

Dados da evolução dos postos formais de trabalho atualizados

04/08/2017 17:39

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (NECAT) concluiu a atualização da série de dados lançadas pelo Ministério do Trabalho (MTE) até 2014, que dizemImagem relacionada respeito à Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

As novas tabelas elaboradas contam tanto com os agregados de Santa Catarina, quanto com os dados relativos às alterações dos postos formais de trabalho de cada uma das mesorregiões do Estado e podem ser conferidas aqui.

I Seminário DESIS: Vocações Regionais e Desenvolvimento Socioeconômico

22/03/2017 14:35

Núcleo de Estudos para Desenvolvimento Econômico Sustentável e Inclusão Social (DESIS), em parceria com o Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (NECAT), ambos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), convidam a comunidade acadêmica para o “I Seminário Desis: Vocações Regionais e Desenvolvimento Socioeconômico”.

O evento será realizado no dia 6 de abril, das 9h às 17h, no auditório da Reitoria Central da UFSC, Trindade – Florianópolis. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas no local.

Promoção:

Convite

Programação:

programação